NOTÍCIAS

Formação gratuita e subsidiada

Já não há desculpas para fugir à formação e qualificação de competências

Já não há desculpas para fugir à formação e qualificação de competências!


Em parceria com a Consultua, a Megaskills lançou várias Formações Modulares Financiadas para ativos e desempregados.

Os formandos beneficiam dos seguintes apoios

  • Bolsa de Formação 35% do IAS
  • Subsídio de Alimentação 4,52€/dia
  • Subsídio de Transporte 15% do IAS

Nota: Através da Formação Modular Financiada pode fazer a formação obrigatória exigida pela ACT. 


Lista de Formações Financiadas disponíveis para inscrições:

  • Curso Técnico em Cuidador de Idosos
  • Curso Atendimento - Língua Inglesa
  • Curso Atendimento Restauração
  • Curso Técnico em Agente Comunitário
  • Curso Gestão da qualidade Empreendedor
  • Curso Animador Cultural
  • Curso de Auxiliar de Educação Infantil e Babysitting
  • Técnico Recursos Humanos - I
  • Curso Técnico Marketing
  • Curso Técnico Informática

Os interessados deverão contactar-nos através desto formulário em baixo.

Megaskills no Município da Meda

Em parceria com a Mirago Bartending, promovemos o #Workshop Cocktails sem Álcool na "Semana da Saúde e Bem-estar" promovida pelo Município de Mêda.

Felicitamos o Município da Meda e o Agrupamento de Escolas do Concelho da Meda pela excelente organização.

Nova legislação do programa de estágios profissionais

Nova legislação do programa de estágios profissionais revoga os estágios-emprego e os estágios reactivar

O programa conta com várias alterações preponderantes, nomeadamente prémios às empresas que ofereçam contratos de trabalho sem termo aos estagiários no final do estágio. 

As principais modificações que destacamos são as seguintes:

  1. As candidaturas deixam de ser em regime aberto e passam a ser definidos períodos específicos de candidatura;
  2. Passa a haver uma grelha de análise e pontuação mínima dos projetos;
  3. Entre os critérios de análise estarão a localização do estágio (se em território economicamente desfavorecido ou não), a taxa de empregabilidade dos estagiários, etc;
  4. Diferenciação do valor da bolsa de estágio entre licenciatura, mestrado e doutoramento;
  5. N.º máximo de estágios aprovados por entidade anualmente, em função da dimensão da empresa;
  6. Criação do prémio-emprego, CST celebrado com o ex-estagiário até 20 dias uteis após o término do estágio, no valor máximo de 2106.60 euros;
  7. Exclusão do nível 2 de qualificação para pessoas abaixo dos 45 anos.

Nota: O nosso departamento presta o serviço de Incentivos à Contratação podendo avaliar a elegibilidade dos seus trabalhadores para enquadramento nos vários programas em vigor, sempre de acordo com a legislação e tirando o máximo partido da situação para a sua empresa. Consulte-nos para mais informações.

Portugal 2020 promete criar 13 mil empregos entre os quais 5000 qualificados

Hoje, no âmbito da assinatura de nove contratos no Montijo, onde decorre a Sessão 'O Investimento em Portugal' promovida pelo COMPETE 2020 - Programa Operacional Competitividade e Internacionalização, estes novos investimentos juntam-se a outros 1215 projetos, já aprovados e com financiamento garantido pelo Portugal 2020.

O anúncio foi feito pelo Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, presente no evento, acrescentando ainda que todos juntos, darão lugar à criação de 13 296 postos de trabalho, dos quais cerca de cinco mil empregos qualificados.

Um dos exemplos é a FJ Bikes. A produção de bicicletas de gama média e alta, algumas elétricas, maioritariamente para exportação, garantiu à FJ Bikes o acesso aos Fundos da União Europeia do Portugal 2020. A empresa de Águeda fecha o contrato hoje e, se cumprir os requisitos à risca, poderá receber um incentivo comunitário de 3,762 milhões de euros, 60% do investimento total que prevê realizar (6,269 milhões). Entre os compromissos a cumprir pela empresa estão cem postos de trabalho, bem como a internacionalização de 85% do seu produto.

A FJ Bikes não é a única a embarcar nos investimentos apoiados por Bruxelas. Esta sexta-feira são assinados os já referidos nove contratos, numa cerimónia que decorre no Montijo.

Os projetos juntam-se a um total de 1215 negócios já com financiamento garantido pelo Portugal 2020, selecionados entre 1906 candidaturas já analisadas. Em causa estão quatro concursos diferentes, para a inovação, empreendedorismo, qualificação de PME e Internacionalização, num investimento total que ascende a 1608 milhões de euros, 822 milhões de apoios comunitários que começam a chegar a estes negócios nas próximas semanas.

Entre estes negócios estão especialmente projetos relacionados com a indústria metalúrgica, de maquinaria, borrachas e plásticos, bem como o setor automóvel.
Mas candidaturas apresentadas foram muito mais. O Ministério do Planeamento e das Infraestruturas dá conta de um total de 3555 projetos a concurso para um investimento pedido que ascende a três mil milhões de euros.

Este patamar nunca tinha sido atingido na história dos fundos dirigidos a Portugal e surpreendeu positivamente a equipa de Pedro Marques, que prevê um reforço das exportações e do emprego criado por Portugal - até porque é condição do financiamento o cumprimento das metas a que as empresas se propõem.

Estes 1215 projetos já aprovados, e a que se juntam as nove empresas que agora assinam contrato, estão longe de representar os 1608 milhões de investimento total (entre Portugal 2020 e investimento próprio). A aprovação dá já ligação direta à criação de 13 296 postos de trabalho, dos quais cerca de cinco mil empregos qualificados.

As exportações, que também estão no centro do novo pacote de financiamento apoiado, deverão, por sua vez, receber um contributo de 2379 milhões de euros - só a FJ Bikes, uma das que assinam hoje, prevê dirigir 85% do seu negócio para vendas ao estrangeiro.

"Portugal, ao contrário do que se diz, é capaz de se modernizar depois de uma dinâmica negativa e de desmoralização Toda a sociedade portuguesa e também os empresários ganharam uma vontade de fazer as coisas", afirmou ao DN/Dinheiro Vivo, Nelson de Souza, Secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão, lembrando que entre os projetos e empresas candidatas estão grandes setores como o calçado, indústria têxtil, a aeronáutica e até o automóvel.

Ainda não aprovado, mas também em destaque pelo governo, está o concurso para projetos de execução rápida que, um mês depois de ter sido lançado, conta já com 223 candidaturas, numa proposta global de investimento de 439 milhões de euros. Destes, 176,4 milhões em Fundos da União Europeia. Nélson de Souza lembra que o propósito deste programa, que em vez de ser executado em 18 meses é apenas em 12, foi adiantar opções de investimento.

A ideia inicial do executivo era ter aprovados, ainda este ano, 20% do investimento proposto, mas a forte adesão merece já uma revisão da meta: em 2016, 40% do investimento proposto deve chegar às empresas. A decisão sobre as empresas eleitas chega já em meados de novembro.

Os projetos de execução rápida foram criados para antecipar investimentos que podiam estar guardados na gaveta. Para já, ainda não há empresas selecionadas, mas os números do primeiro mês de programa surpreendem o próprio governo: registaram-se 223 candidaturas, num montante global de investimento de 439,5 milhões de euros.

O valor vai traduzir-se num incentivo de 176,4 milhões em Fundos da União Europeia. Não é só: 96% dos projetos foram apresentados por pequenas e médias empresas e perto de 80% representam empresas que nunca receberam qualquer apoio do sistema de Inovação do QREN. Há ainda uma deslocalização, com 20% dos projetos a destinarem-se a regiões de baixa densidade.

https://www.portugal2020.pt/Portal2020/portugal-2020-promete-criar-13-mil-empregos-entre-os-quais-5000-qualificados

Portugal2020 - Candidaturas abertas ao Prémio da União Europeia para Mulheres Inovadoras 2017

Está aberto até dia 3 de novembro o concurso para o Prémio da União Europeia para Mulheres Inovadoras 2017, que reconhece as mulheres empreendedoras que de forma bem-sucedida trouxeram inovações para o mercado.

Recorda-se que, no ano passado, a portuguesa Susana Sargento, cofundadora da empresa Veniam em Portugal, venceu o primeiro prémio deste concurso da Comissão Europeia que entra agora na sua quarta edição.

Este ano também está aberta a mulheres de qualquer nacionalidade que vivam num país europeu (inclui qualquer Estado-Membro da UE e países associados ao HORIZONTE 2020), que tenham fundado ou cofundado uma empresa com um volume de negócios igual ou superior a 100 000 euros.

Para evidenciar a nova geração, a edição de 2017 irá também apresentar a categoria de Inovadora Emergente para empreendedoras com idade inferior a 35 anos.

Carlos Moedas, o Comissário europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, que gere o Programa HORIZONTE 2020 disse a respeito: «O Prémio da UE para Mulheres Inovadoras destaca apenas algumas das muitas mulheres que contribuíram para a economia europeia do conhecimento. As vencedoras anteriores alcançaram proezas consideráveis em áreas tão diversas como a imunologia, as telecomunicações e o desenvolvimento de software. Esperamos que estes prémios possibilitem às vencedoras continuar o respetivo percurso de inovação e encorajem outras mulheres a seguir os passos destas empreendedoras extraordinárias.»

No total, existem quatro prémios:

  • 1º Prémio - 100 000 euros
  • 2º Prémio - 50 000 euros
  • 3º Prémio - 30 000 euros
  • Prémio de Inovadora Emergente - 20 000 euros

Um júri de alto nível irá avaliar e selecionar as quatro vencedoras, que serão anunciadas numa data perto do Dia Internacional da Mulher que se assinala a 8 de março de 2017.

Para participar, as candidaturas devem ser efetuadas através do sítio web do concurso antes da data de encerramento, a 3 de novembro de 2016.


MULHERES INOVADORAS NA EUROPA

As mulheres representam apenas 30% de todos os empreendedores na Europa. Com este prémio, financiado através do Programa de Investigação e Inovação da União Europeia, o HORIZONTE 2020 (2014-2020), a UE procura mostrar os feitos notáveis de mulheres que ultrapassaram barreiras para se tornarem empreendedoras, tais como o acesso ao financiamento e a redes de contactos, e chamar a atenção para a necessidade de aumentar a participação feminina neste domínio.

Mais de 260 mulheres participaram neste concurso que se iniciou em 2011. As vencedoras dos prémios de 2016 foram Susana Sargento (Portugal), que transformou automóveis em hotspots de wifi, Sirpa Jalkanen (Finlândia), de quem partiram inovações que permitiram o desenvolvimento de novos compósitos fármacos contra o cancro da mama e da próstata, e Sarah Bourke (Irlanda), pela sua tecnologia espacial pioneira que é usada pela Estação Espacial Internacional, NASA.


Informação retirada de www.portugal2020.pt

https://www.portugal2020.pt/Portal2020/candidaturas-abertas-ao-premio-da-uniao-europeia-para-mulheres-inovadoras-2017

Calendário Escolar 2016/2017

Tudo o que precisa de saber sobre o calendário escolar 2016/2017, o calendário das provas de aferição do ensino básico, o calendário das provas finais do 3.º ciclo e o calendário de exames finais nacionais do ensino secundário.


Início e primeiro período

  • O ano letivo terá início entre o dia 9 e 15 de setembro para todos os níveis de ensino obrigatório.
  • O primeiro período termina a 16 de dezembro.


Segundo período:

  • O segundo período inicia-se a 3 de janeiro e termina a 4 de abril (terça-feira).

Estamos em crer que este fim incomum do período a uma terça-feira procura, por um lado uma divisão mais equilibrada da extensão dos vários períodos letivos e, por outro, adequar melhor o calendário às tradições habituais de deslocação interna no país no período da Páscoa.

Note que a Páscoa é a 16 de abril de 2017 sendo as aulas retomadas na quarta-feira seguinte e não no dia imediatamente seguinte a esse feriado domingueiro como aconteceu em vários anos.


Terceiro período e fim do ano letivo:

O terceiro período inicia-se a 19 de abril e tem datas de conclusão diferenciadas por nível de ensino. A saber:

  • O ensino pré-escolar termina o ano letivo a 30 de junho de 2017.
  • Os alunos do 9.º 11.º e 12.º anos de escolaridade terminam o ano letivo a 6 de junho de 2017.
  • Os alunos do 5.º, 6.º, 7.º, 8.º e 10.º anos de escolaridade terminam o ano letivo a 16 de junho de 2017.
  • Os alunos do 1.º, 2.º, 3.º e 4.º anos de escolaridade terminam o ano letivo a 23 de junho de 2017.


Calendário escolar 2016/2017 + Calendário das provas de aferição do ensino básico + Calendário das provas finais do 3.º ciclo + Calendário de exames finais nacionais do ensino secundário

Economiafinancas.com. Calendário Escolar 2016/2017. 

Disponível em: https://economiafinancas.com/2016/calendario-escolar-2016-2017/. Acesso em 16 de Agosto de 2016.